top of page

Home Office e o ZOOM Fatigue

Não importa se você utiliza o Zoom, Hangouts, Skype, Houseparty, Instagram, Meet ou até mesmo o WhatsApp. Desde o início da Pandemia 35% dos profissionais aderiram ao trabalho em casa ou Home Office.


Médicos, Psicólogos, Jornalistas, TIs, Atendimento ao cliente, nutricionistas, vendedores, professores... A Lei n° 13.467/2017, elaborada na última reforma trabalhista facilitou a transição para muitas organizações.


De acordo com uma pesquisa elaborada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), até abril de 2020, cerca de 59 países já adotaram o home office como uma alternativa ao trabalho presencial.


Lado negativo: Esse aparente conforto trouxe mal estar. Escuto algumas queixas: “estou trabalhando mais”, “fico exausta”, ou as resistências “odeio home office”, “meu corpo dói”.


É real o cansaço, já que o LinkedIn fez uma pesquisa com 2 mil profissionais que estão em home office e mostrou que 62% deles estão mais ansiosos e estressados com o trabalho do que quando estavam nos escritórios.


Já tem um nome isso que está ocorrendo esse novo tipo de esgotamento mental, chama-se "Zoom fatigue" — termo que pegou emprestado o nome do app Zoom para ilustrar bem como fica nosso cérebro convivendo com tanta videoconferência.


Temos 5 sentidos e conversar por vídeo imagem, ficar muito tempo sentado, pensando e digitando acarreta na mente um déficit de relaxamento.


Nosso corpo precisa de descanso e relaxamento para se manter saudável. A exaustão reverbera no corpo de forma nociva, e é possível percebê-la na expressão corporal, na respiração, no olhar disperso... a exaustão altera o apetite e até mesmo causa insônia.


Nas vídeos conferências, além da conversa engessada, tem a questão da falta de socialização pessoal, da troca de um abraço, de uma brincadeira que é comum acontecer durante as conversas pessoais ou reuniões. Isso, de uma certa forma, alivia o peso das responsabilidades e é muito necessário para nós, seres humanos.


Como reverter?


Sentidos:Sou suspeita, fiz uma pós em Arteterapia e sei que o cérebro precisa de cores, cheiros, animais, plantas, terra, gostos, sons...para equilíbrio. Não reduza sua existência a tecnologia. Treine seus sentidos, ou melhor, desperte-os.


Corpo: Respire com calma ou como mais velocidade, ou então com profundidade. Correr no lugar , pular, meditar, Pilates, Relaxamento, Alongamento... Aerohit, Danças...tudo isso no Youtube com aulas gratuitas, ou seja, está em seu alcance.


Rotina:Tenha horário de acordar, fazer as refeições, trabalhar, praticar exercício físico, cuidar da família e descansar. Faça um planejamento sincero e tenha claro quais são suas prioridades.


Alimentos: HIDRATE-SE nosso corpo precisa de agua já que 70% dele é água, uso a magnetizada e mineraliza, por ser alcalina e dar condutibilidade ao sangue, aumento de circulação e energia. Ideal no mínimo 8 copos de 300 ml por dia. Coma o que não tem rótulo, ou seja, o que é natural e com mais energia.


Se as coisas estiverem difíceis, peça ajuda profissional! O isolamento gera reflexões, relacionamentos, problema internos mal resolvidos... e aumenta a angústia e a ansiedade o que pode comprometer a sua saúde, já que ela é capaz de alterar o funcionamento do organismo, comprometer a qualidade do sono e até das relaçoes.


Qualquer situação que gere incômodo deve ser tratada para que não vire algo maior. Busque ajuda de um psicólogo e exponha as situações que estejam gerando desconforto. Consciência é o primeiro passo para a cura!

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page