top of page

Relações Defeituosas Entre Pais e FIlhos

Como psicóloga por vezes muitas pessoas fazem perguntas embaraçosas sobre a educação dos filhos, sobre o que é aceitável, apropriado, erros e acertos.

O que podemos filtrar de leituras, estudos e experiencias clínicas é que erramos querendo acertar.

Sobre condições indesejáveis nas relações entre pais e filhos e o que podem causar nos adultos abaixo um esquema: Condição e Resultados no Desenvolvimento

REJEIÇÃO = Sentimentos de insegurança e isolamento. Busca de atenção, negativismo, comportamento hostil. Incapaz de dar e receber afeição.

SUPERPROTEÇÃO-DOMÍNIO = Submissão, inadequação, falta de iniciativa, tendencia para dependência passiva nas relações como outros.

MIMO EXCESSIVO= Egoísmo, exigência, incapacidade para tolerar frustração, Rebelde diante da autoridade, excessiva necessidade de atenção, falta de responsabilidade.

PERFECCIONISMO-AMBIÇÕES NÃO-REALISTAS PARA A CRIANÇA= A criança inferioriza os padrões não-realistas dos pais. O fracasso inevitável leva a frustração contínua, sentimento de culpa. Auto-condenação e auto-desvalorização.

DISCIPLINA DEFEITUOSA= Excesso de liberdade ligado a insegurança, agressividade anti-social. A disciplina severa geralmente leva a excessiva condenação do eu por comportamento socialmente condenado, angústia com relação a comportamento agressivo. A disciplina incoerente geralmente resulta em falta de valores estáveis para a orientação do comportamento, como tendencia para incoerência e vacilação ao enfrentamento de problemas.

RIVALIDADE ENTER IRMÃO = Hostilidade direta ou indireta, insegurança, falta de autoconfiança, regressão.

DESAVENÇA CONJUGAL E LARES DESFEITOS = Angústia, tensão, insegurança, falta de uma base segura no lar, tendencia para avaliar o mundo como um lugar perigoso e inseguro. Lealdades conflitivas, falta de modelos adequados para desenvolvimento adequado do ego.

OS PAIS COMO MODELOS DEFICIENTES = Interiorização de atitudes de valor imorais e socialmente indesejáveis, que frequentemente levam a problemas com a justiça e a lei.

EXIGÊNCIAS CONTRADITÓRIAS Falta de esquema integrado(um pai pensa e fala algo e o outro contradiz, avos, tios...interferência na educação) confusão e auto-desvalorização.

Planejar ter filhos é fácil, porem estar emocionalmente preparado para criar filhos com sintonia e coerência na educação é mais difícil. O casal primeiramente estando bem entre eles aí sim seria mais adequado, com estabilidade e boa comunicação pensar em padrões unificados para acolher, receber com amor o fruto dessa relação= os filhos.

Filho não é para preencher vazios, nem é um acidentes, ou para segurar relações, nem para satisfazer padrões sociais e muito menos status.


Sônia Augusta

Psicóloga Clínica

Referencia: A Psicologia do Anormal e a Vida Contemporânea, James C. Coleman, SP

:Pioneira

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page